Corno adora ver sua esposa sendo desejada por tio e cunhado

Categoria: 

olá amigos.

Sou marido de uma loira 169 m, 60 kg, seios médios, bunda grande, boca macia, muito bonita e que chama a atenção dos homens por onde passa. Sempre tive vontade de ver minha esposa sendo devorada por outro macho. Comecei fantasiando , falando quando transávamos. No começo ela ficava quieta,mas gozava rapidinho e múltiplas vezes. Pedia pra ela imaginar homens que conhecíamos e que nós sabíamos que eram declaradamente doidos para pegar ela. O meu cunhado(casado com minha irmã), sempre em reuniões de família, pegava ele olhando pra ela. Ela sabia e gostava. Ele é um homem de trinta e poucos anos(da mesma idade nossa), olhos azuis, pernas grossas e peludas(joga bola), braços fortes e peito peludo, com uma cara de safado e que tinha fama de que traía minha irmã. Ele tinha todos os atributos de homem que ela gostava...Ela já tinha me confidenciado que achava ele bonito. Ela gosta de homens com pernas grossas e peludas.

Sempre quando íamos transar, falava pra ela que eu sabia que ela queria experimentar a boa fama do meu cunhado. Dizia pra ela que ele tinha um pauzão, pois já tinha visto, pois ele dirige caminhão e já viajei com ele uma vez e tomamos banho juntos.

Pedia pra ela imaginar ele beijando ela, ela acariciando o pau dele... Ele já me disse, tomando umas cervejas comigo, que era louco por bunda e comer um cuzinho apertado. Vivia elogiando ela pra mim. E realmente era, pois já tinha visto ele várias vezes olhando a bunda dela. Em certas ocasiões percebia o volume no meio das pernas dele crescendo, só de ficar olhando pra ela. Dizia isso pra ela e ela ia a loucura. Gozava uma, duas, até três vezes seguidas. Pena que era cunhado e jamais faria isso com minha irmã.

Outro que ela gosta de fantasiar é com um tio. tem 53 anos, conservadão. Estilo macho, bem sucedido. Ele já chegou aproveitar uma dança com ela pra dar umas esfregadas nela. Uma festa de família. Todos tinham bebido e foram embora. Sobramos só nós , minha tia(esposa do garanhão) e meu tio. Minha tia foi se deitar e ficamos conversando.

Ele não tirava os olhos dela. Ela vestia um vestidinho de pano fino, marcava todo contorno da bunda .

Ele tomando cerveja , sem camisa, peito forte, cabeludo a mostra,com uma bermuda que marcava o contorno do pau. Que pelo volume não era pequeno. Conversa vai e conversa vem. Tocou uma música q ele gostava(forrózinho). Ele me perguntou se me importava de dançar com a sobrinha dele. Eu disse que não. Eu disse que ia até o banheiro.

Ele puxou ela pelo braço e começou a arriscar uns passos . Ela que já estava alta pela cerveja, dava risadas, dizendo que não sabia e ele dizendo que ia ensinar ela. A janela do banheiro, dava para o espaço gourmet, onde eles estavam. Obviamente demorei no banheiro, mas fiquei olhando tudo pela janela. Ele percebeu minha saída e puxou ela com força. Apertando o corpo magro da minha esposa com o corpão forte e peludo dele. Passou a mão pela cintura dela e deixou bem embaixo, próximo ao bundão dela. E começou o esfrega-esfrega. Encaixou o quadril dela no meio das suas pernas e em cada rebolada, ele esfregava o volume dele nas coxas dela. Por vezes, os dois pareciam que iam se beijar de tão perto que a boca dela ficava da dele. Ela adora homem com hálito de cerveja. Sabia que ela estava toda molhada ali. Os peitinhos dela roçando no peito peludo e forte dele. Aquela cena era digna de um vídeo.

O ponto alto foi quando ele tentou gira-la e ela parou de costas pra ele. Ele mais do que depressa , abraçou ela por trás, deixando o volume da bermuda dele, todo na bundinha dela e segurando ela , com um braço pelas mãos e outro em volta da cintura dela, pressionando a bunda dela contra seu pauzão. Ele encaixou seu rosto na nuca dela e ficava esfregando a barba , por fazer, na nuquinha da minha safada. Não queria mais voltar do banheiro......Mas eles foram interrompidos por um barulho e preferiram parar, pois minha tia não iria gostar nada de ver o quanto aquela dança estava rendendo. era visível pelo tamanho do volume que tinha se formado no meio das pernas do meu tio.Coisa que ele não fez a mínima questão de esconder. Na hora em que fomos nos despedir , ele já com a voz mole me deu os parabéns pela esposa . Deu um abraço apertado em mim, que até pude sentir um pouco do que ela sentiu noas coxas. Ainda estava de pau duro. E não perdeu a chance de abraçá-la demoradamente.

Aquela dança rende fantasias até hoje.

Quero fazer novos amigos, que tenham esse perfil....Homens fortes, peludos, safados para tomarmos umas cervejas em casa e quem sabe talvez, dançar com minha loira

https://www.casadoscontos.com.br/texto/201709375