A doutora com seu paciente

Categoria: 

Olá pessoal meu nome é Milena hoje vou relatar algo que me aconteceu quando eu tinha pouco tempo de formada. Eu me formei em fisioterapia e me especializei em pompoarismo e sexologia.

Com o trabalho diversificado eu comecei atender casais fazendo terapia e vez ou outra atendia também mulheres recém separadas ou divorciadas e o atendimento também era estendido a homens. No mês de dezembro cheguei ao consultório e peguei minha agenda e vi que tinha um cliente agendado para as 17:30, o seu nome era Juan, e logo me veio a mente a imagem do artista internacional John Deep, que interpretou o clássico internacional Don Juan de Marco filme que adoro e pelo nome já se poderia deduzir que era um conquistador.

Como toda mulher sou romântica e sonhadora...

No decorrer da tarde atendi os clientes restando só o Juan e uma outra cliente, assim que foi anunciado esperei na porta como faço com todos meus pacientes e ao cumprimentar segurando sua mão firme e suave eu senti uma sensação que foi algo como um choque, meu corpo recebeu aquela carga emocional e eu que sempre com auto-estima elevada e empoderada me deixei levar por aquele olhar inquisidor, parecia que lia meus pensamentos.

Sentamos um de frente ao outro e pedi que relatasse o que o trouxe ali. Ele se apresentou e começou a relatar que era divorciado, mas que devido ao divórcio criou um bloqueio sentimental que por mais que se esforçasse não conseguia ver as mulheres como elas realmente são, amorosas e carinhosas, mas sim como objetos de prazer, o prazer carnal e sexual.

Conversamos avaliando todos os pontos até que repentinamente ele segurou em minha mão e disse com a voz branda e suave.

Quer jantar comigo Drª ? Pasmem eu que sempre fui segura de todas ações que já passei em minha vida fiquei sem ter o que responder e meus pensamentos confusos me deixaram a mercê daquele homem forte e viril ... Ao mesmo tempo carente de amor e afeto.

Respondi um sim forte e ativo que ele segurando em minhas mãos sorriu!

-Ah que bom Drª estava ansioso por sua resposta. Juan disse que me aguardaria na recepção enquanto atenderia o último cliente da tarde.

Estava ansiosa parecendo uma adolescente em seu primeiro encontro.

Finalmente terminei o expediente e ao sair a secretaria avisou-me que o Juan aguardava-me no estacionamento, assim sai pela porta lateral do consultório e fui até o estacionamento e ao me aproximar do meu carro, vejo um homem sentado displicentemente no lado do motorista

Aceno para ele que me retribui com um sorriso. Pensei meu Deus estou louca, não é possível eu aceitar sair com um paciente que pouco sei da sua vida!

Ele aproximou-se e falou dê-me a chave que vou te levar no melhor restaurante da cidade!

Assim eu fiz passei as chaves Juan abriu a porta do carro assim que entrei ele tomou lugar ao volante e saímos lentamente pelas ruas da cidade, o clima estava ameno, mas de repente começou a chover uma chuva suave sem transtorno e em pouco tempo Juan estacionou em um restaurante simples porém aconchegante.

Entramos e ficamos em uma mesa isolada, tomamos vinho e conversamos , assim ficamos trocando ideias sobre gosto pessoa filmes livros e ...Sexo um assunto que seria pedir demais que não conversássemos afinal eu sou sexóloga ele um cliente.

Juan abriu seu coração dizendo tudo que sentia em alguns momentos sentia emoção em suas palavras em outros apenas apatia em fim chegou à conclusão que seu casamento foi um fiasco que durou 5 anos.

Mas que agora quer dá outro rumo a sua vida e deixar o passado enterrado queria uma chance de ser feliz e contava comigo para isso.

-É claro que eu disse que o estaria apoiando em tudo que ele poderia contar comigo, mas eu me referi ao lado profissional, mas quando ele segurou em minha mão e levou a seus lábios me dando um beijo suave. Minha mente despertou com um alarme de perigo pois eu estava me envolvendo com um paciente. Em poucos segundos Juan desmanchou a cara de preocupação e me beijou com intenso desejo. Ficamos sem palavras por alguns instantes até que Juan perguntou-me se poderíamos ir para um lugar mais sossegado?

-Podemos sim Juan quem está na chuva é para se molhar desde quando aceitei sair com você já deveria saber a atração que senti por você desde o primeiro momento que o vi acabaria nos levando a uma imensa atração.

Então seguimos para um motel, poderia ir até meu apê pois moro sozinha em um pequeno apartamento, mas achei melhor deixar para outro momento oportuno.

Chegamos no motel entramos Juan pediu uma suíte assim que ele parou o carro abriu a porta e fomos de mãos dadas para o quarto.

Eu segurou pela cintura colando meu corpo ao seu e segurou a nuca, nossas bocas se uniram em um beijo doce e agressivo ao mesmo tempo, eu poderia ficar ali pela eternidade, mas ele se afastou de mim, limpou sua boca suja de batom. E adentramos naquele lindo espaço com muito luxo e requinte. Juan era muito gentil e educado. Sentei-me em uma cadeira enquanto ele foi até o banheiro eu fiquei pensando que eu como um profissional deveria ter pensado antes de entrar nesta aventura pois eu me senti como se tivesse me aproveitado da situação de conhece-lo em um momento de grande carência afetiva, eu estava traindo meu juramento.

Foi quando eu ouvi passos atrás de mim e quando me virei pronta para dizer as desculpas ele me surpreendeu com um beijo e eu não tive reação alguma a não ser retribuir o beijo.

Juan para por favor veja está tudo errado estamos agindo por impulso. Eu não posso fazer isso, eu não posso ser assim!

Isso é anti ético!

-Não eu não sou criança eu que a convidei a vir comigo até aqui, não foi a primeira vez que fui até seu consultório pois queria vê-la a consulta foi apenas uma desculpa! Faz tempo que fico a sua espreita na academia só não a procurei antes com medo de uma recusa,

Ele me abraçou e foi tirando meu vestido, ele me olhava com os olhos ávidos meu conjunto de lingerie preto de renda transparente ressaltando a pele branca, imediatamente senti seu pau endurecer.

Eu não conseguia negar a atração que ele exercia sobre meu corpo e pensamentos foi assim que ele veio até onde eu estava me beijou ferozmente, fomos andando e tropeçando até chegarmos a cama, ele me colocou sentada na cama.

Ele começou a beijar meu pescoço, eu entrei no clima do tesão e ajudei tirando sua camisa jogando o pelo chão do quarto, Juan segurava meu rosto entre suas mãos e me beijava ardentemente me tirando o ar. Foi ai que eu me afastei um pouco ofegante, ele parecia enlouquecido ai fiz intenção de ir até o banheiro eu queria um tempo para falar, mas antes de começar a falar ele me prendeu em suas pernas.

- Eu estou apaixonado por você Milena, eu sem reação tremia parecendo uma adolescente queria ir embora, mas impossível resistir a seu charme e vendo-o ali na minha frente com seu peito nu. Quando Juan falou!

- Seja minha Mila! Me desmanchei em êxtase foi-se por terra toda minha segurança e

Preocupação e assim ele me beijou com desejo. Entreguei-me de corpo e alma e ambos deitados na cama Juan deslizou seus dedos em meu corpo de minha garganta ouvia sons apenas de gemidos, suas mãos segurava meus seios com delicadeza, quando suas mãos foram descendo sobre minha barriga sentia meu corpo arder em desejo, quando ele parou sua mão sobre o delicado tecido da calcinha, e demorou nas carícias.

Eu sentia a buceta arder e expelir uma quantidade imensa de fluidos, e sem conseguir controlar-se soltei um gemido baixinho, ele sentiu o tecido úmido sob seus dedos, abaixou seu rosto até meu sexo e deu pequenos beijos sobre o tecido e ente minhas coxas definidas... Fui ao delírio pois a sensação de puro êxtase me dominou me sentia no céu ou quem sabe no inferno pois meu corpo fervia de pura excitação. E quando ele afastou a calcinha de lado meu mel estava quase escorrendo.

Juan apoderou-se e começou a lamber e sugar todo o meu líquido, foi assim que a calcinha foi tirada e ele voltou a chupar a buceta doce e carnuda, eu gemia cada vez mais alto.

Então com movimentos lentos e circulares fui penetrada, com a mão esquerda ele acariciava meus seios macios, a cada momento aumentava o ritmo da penetração e não parava de meter dando estocadas firmes, falando palavras doces e ao mesmo tempo me instigando o meu lado puta, me soltei de falsos pudores em pouco tempo ele sentia minha buceta mastigando seu pau, nossos corpos estremeceu em um gozo maravilhoso. E eu apaguei literalmente.

Quando eu recobrei a consciência eu o vi e percebi em seu olhar muita felicidade. Tomamos um banho e voltamos para a cama...E

Recomeçamos ele com movimentos lentos de vai e vem e em cada entrada sentia meu corpo envolvendo seu pau forte me massageando, nossos olhos fixos um no outro, até que eu lhe disse para ficar parado dentro dela e assim ele pode experimentar a técnica de pompoarismo, ele me olhava sorrindo e me provocando.

Disse ao pé do seu ouvido. - Me come com força!

Assim ele fez me segurou forte e começou a bombear fundo, os gemidos iam aumentando, mudamos de posição foi quando ele sentou e eu me encaixei por cima.

Enquanto eu cavalgava ele começou a me beijar e morder perdendo o controle até que gozou novamente, ai fui me soltando o peso em cima do seu corpo. Éramos apenas sorrisos eu ele estávamos completamente felizes e realizados. Este foi o início de uma grande aventura recheada de amor respeito mútuo que perdura até hoje. Entre nós o sexo é sem limites não tem lero lero entre o casal que se ama se respeita entre 4 paredes o céu é o limite do prazer.

https://www.casadoscontos.com.br/texto/201806420

Comentar