Minha esposa Cely e nosso caseiro negro,seu macho II

Categoria: 

Eu,Marcio de 61 anos,casado com Cely uma loira gostosona de 55 anos,agora estava sabendo que minha mulher era amante

a mais de um ano de Tom,um negro de 59 anos,com cacete de jumento e completamente insaciável no sexo,caseiro de nosso sítio a muitos anos,e casado com Lia uma mulata bonita de 35 anos com a qual tinha dois filhos pequenos,ela que não conseguia receber metade do cacete monstruoso do marido em sua buceta vivia toda aberta e dolorida, Tom queria sexo todos os dias e todos os instantes,ela não estava suportando mais,tinha comentado isso com minha esposa Cely que quando soube ficou descontrolada de curiosidade e desejo,se propondo "ajudar" Lia,alegando que tendo um corpo mais volumoso e maior vivência,poderia dividir com ela suas obrigações sexuais de esposa aliviando a sobre-carga sexual que o marido insaciável lhe impunha..

Nos dois primeiros relatos detalho bem como tudo se sucedeu,como Lia me contou tudo,.....o descontrole total de Cely ao saber que nosso caseiro negro tinha um cacete de jumento e queria sexo incessantemente....,o alívio de Lia quando seu marido,uma vez por semana, desviava totalmente sua poderosa arma para minha esposa,que ao contrário dela,recebia todo o monstruoso cacete gemendo e gritando de dor e prazer...como imediatamente passei a enxergar minha esposa assim que soube de tudo,que ao contrário de ficar puto e querendo me separar dela por causa da traição,passei ter um tesão até meio doentio,admirando-a,até idolatrando-a como uma deusa do sexo,que com seu delicioso corpo branco de mulher de 55 anos,abria-se toda para receber em suas carnes brancas e macias o falo preto cavalar de seu macho negro poderoso e impetuoso, que sem dó maltratava suas carnes delicadas enquanto ela gemia de dor e prazer sob seu jugo...como rapidamente também assumi minha posição de corno, me proporcionando um tesão anteriormente inimaginável...

Naquela tarde eu estava na empresa e mal conseguia trabalhar,sem que ela soubesse eu agora sabia de tudo,Cely estava em nossa chácara onde passaria a tarde toda com nosso caseiro negro,seu macho fodedor,sob a vigia e anuência de sua esposa Lia que a tudo ficava atenta para que eles não fossem atrapalhados de nenhuma forma,eles fodiam sempre na cama de casal de nossa suite,porta do quarto aberta para Lia entrar e sair quando quisesse,e se deliciar vendo seu marido negro,enfiando seu cacete preto de jumento até as majestosas bolas,nas carnes brancas e receptivas se sua patroa que gritando de prazer me cornificava irremediavelmente...

Vinham à minha mente imagens da noite anterior,quando Cely,em nossa casa já se preparava para a tarde seguinte,com tesão à flor da pele,sensual e descarada,usava aquela camisolinha leve e curta que mostrava suas coxas brancas e macias,e mal cobria as polpas de sua bundona matriarcal,não se importando que eu notasse que estava completamente nua por baixo,o que anteriormente jamais ocorrera,mas que me alucinou de tesão por ela,nesse momento imaginei que se o negro estivesse por perto lá em casa,vendo-a daquele jeito iria fodê-la de forma avassaladora,fustigando seu útero e jorrando litros de porra naquela bucetona que ele já havia moldado para suas dimensões...

Tinha ficado com o Whats da Lia,não queria dar nenhum sinal com receio que ela estivesse próximo à eles no quarto,mas acabei não resistindo,perguntei como estava tudo,logo veio a resposta, :(está incrível...nunca vi tão forte..estão alucinados se devorando.) Fiquei doido,tive uma ereção imediata,desejei muito estar na posição de Lia que podia ver tudo,imaginei minha esposa gemendo de prazer com a buceta toda dilatada pelo cacetão que eu tanto queria ver entrando nela,logo veio outra breve mensagem de Lia : (acabou uma agora...D.Cely estendida na cama chorando...se beijam na boca apaixonados..ele sobe no corpo dela e dá pra ela limpar com a boca)

Me esporrei todo no escritório ao ler isso...

Disse a Lia que queria muito estar lá,mas, sem ser visto por eles,no dia seguinte Tom não estaria na chácara durante a tarde,eu iria lá para que Lia me contasse todos os detalhes e para combinar uma forma de gravar esses encontros..

No final da tarde Lia me avisou a hora que Cely estava saindo de lá,não havia tomado banho,Tom não deixou,imediatamente me dirigi para casa,queria chegar no mesmo instante que ela,não queria dar tempo para ela disfarçar nada..

foi uma loucura,nunca imaginei que eu pudesse me fazer tanto assim de inocente ingênuo,mas pela cornice e mansidão se faz de tudo...

Detalho tudo no próximo..se estiverem gostando,evidentemente..

https://www.casadoscontos.com.br/texto/201710929