Motel com o amigo da boate

Categoria: 

Em outros contos já nos identificamos, mas vale a pena relembrar. Somos Bianca e Bruno, temos 22 e 24 anos, sou morena, baixinha, bumbum redondinho e seios médios. Ele é branquelo, mediano, mas um pau grande e gostoso.

Está história será contada por nós dois e esperamos que tenham muito prazer enquanto lêem.

Bia: Tudo começou quando fomos à uma casa de swing em uma cidade vizinha, lá um rapaz me viu dançando, me achou interessante e no dia seguinte encontrou nosso perfil no site da boate.

Bruno: Puxou papo e demonstrou muito interesse na minha noiva. Entre muita conversa e provocações, descobrimos que morávamos na mesma cidade e que estaríamos com o final de semana livre. Então decidimos que iríamos sair e ver se pintava um clima.

Bia: Primeiro fomos para um bar para tomar alguma coisa e nos conhecermos melhor, quando estávamos todos bem quentes e excitados resolvemos ir a um motel.

Mal entramos e ele já me agarrou, me puxou para cima dele e começamos a nos beijar bem quente.

Ele me agarrou com uma pegada forte, beijos quentes e deliciosos, foi tirando minha roupa até me deixar só de calcinha.

Bruno: Ela me olhava provocante, sempre que estava com a boca livre, me perguntava:

- Era isso que vc queria, meu corninho?

Bia: Foi então que o moreno (nem apresentei ele... moreno, corpo muito sarado, baixo e muito gostoso), me deitou e começou a me chupar e enquanto isso eu chupava o pau do meu corninho, engolindo aquele pau delicioso e duro todinho, deixando ele louco de tesão.

Bruno: Enquanto ela me chupava, ela se contorcia toda... Nosso amigo sabia como chupá-la... Seus gemidos estavam bem intensos e gostosos.

Bia: Estava quase gozando com aquela chupada maravilhosa e resolvemos ir pra banheira, já estávamos todos nus e fomos os três, enquanto eu chupava o pau do nosso amigo, meu corninho metia em mim de quatro me fazendo gemer enquanto chupava.

Bruno: Essa putinha engolia o pau todo do nosso amigo e não aguentou quando ele pediu para que ela sentasse no pau dele, não pensou duas vezes e foi rebolar no colo dele.

Rebolou gostoso no pau dele, que escorregava fácil de tão molhada que estava.

Bia: Depois de um tempo brincando na banheira, nos secamos e voltamos pra cama. Começamos a pegação novamente, ele tinha um beijo muito gostoso, me beijava e metia o pau inteiro dentro de mim.

Enquanto meu corninho via tudo e se masturbava.

Bruno: Ela estava sem pudor nenhum, elogiava o corpo de seu comedor enquanto alisava ele todo, cavalgava e abria sua bunda para sentir mais o pau dele entrando nela e gemia, gemia muito provocante.

Bia: Estava uma delícia aquela foda com meu admirador da boate, meu corninho não aguentou de tesão, me puxou pra cima dele e me fez cavalgar gostoso no seu pau também.

Bruno: Então, para minha surpresa, ela oferece seu cuzinho para ele:

- Vc mete no meu cuzinho? Mas tem que ser devagar, meu lindo.

Bia: Logo ele veio devagar e foi introduzindo o pau no meu cuzinho enquanto eu rebolava no pau do meu noivo gostoso.

Bruno: Quando ele terminou de meter, ela olhou para mim e me disse que queria dar para ele sempre que tivessem tempo livre.

Eu não aguentei e gozei bastante.

Então deixei os dois foderem mais.

Bia: Estava muito gostosa aquela DP, quando meu corninho gozou, nosso amigo me puxou novamente pra banheira e ficou metendo em mim de quatro, enquanto eu olhava com cara de safada pro meu amor:

- Olha corninho, esse safado pauzudo me fodendo gostoso. Quero que ele seja meu amante.

Bruno: Ela gemia enquanto o barulho do contato de seus corpos aumentava no ritmo que ele comia minha noiva ia aumentando também.

Ele puxava o cabelo dela, batia em sua bunda e também provocava:

- Esquece esse corno, pense que vc é só minha putinha.

Bia: Ele me comeu durante muito tempo enquanto provocávamos o meu corninho safado, o tesão aumentou e gozamos ao mesmo tempo.

Bruno: Deitamos um pouco para recuperar o fôlego, mas logo eles já estavam trocando carícias. Ela batia uma punheta bem deliciosa enquanto se beijavam.

Bia: Batia punheta pra ele enquanto meu noivo me chupava, então fiquei de quatro e falei pra ele me comer enquanto eu chupava com gosto nosso amigo.

Bruno: De repente ela vira para mim com a cara toda gozada. Ele não aguentou e gozou forte nela.

Boa: Que delícia, ele me deixou toda melada de goza, continuei dando de quatro pro meu corninho até que ele pediu pra comer meu cuzinho. Comeu gostoso até que me fez gozar de tanto tesão.

Bruno: Depois que ela gozou de novo, caiu na cama e ficou conversando com nosso amigo, então fui pagar a conta

Quando voltei ao quarto, ele estava a vestindo e elogiando a foda e minha noiva.

Na volta para casa ainda soltaram mais provocações no carro.

Bia: Ele pegou na minha coxa e subiu a mão pra enfiar o dedo na minha calcinha pra ver se minha bocetinha estava inchada de tanto que eu dei naquela noite, estava e ele se amarrou.

Bruno: Então chegamos na casa dele, ele veio se despedir da minha putinha que agarrou o pau dele, chupou mais um pouco. Tirou sua calcinha e deu para ele falando:

- Outro dia eu venho sozinha buscar essa calcinha, meu safado!

Bia: Ele disse que eu era muito gostosa e que ia querer me comer mais vezes, pra marcarmos um dia só nos dois e deixarmos meu corninho louco a distância.

Ainda temos muito o que contar desse admirador que virou amante de minha noiva! Haha

Até a próxima!

Qualquer coisa, entre em contato conosco: namorolevado@gmail.com

Beijos putos e putas!!

https://www.casadoscontos.com.br/texto/201805562

Comentar

CAPTCHA
Esta questão é para evitar SPAM