O Pintor Sedutor e Roludo

Categoria: 

Vou compartilhar aqui um momento que aconteceu comigo enquanto ainda estava na faculdade. No meu campus tinham vários cursos, inclusive algumas aulas de Belas Artes como matéria complementar para o pessoal de teatro. Eu fazia comunicação na época então não conhecia ninguém e nem sabia dessas aulas.

Certo dia na cantina junto com alguns amigos sentou na nossa mesa um moreno alto, mais ou menos 1,85m, porte atlético. Parecia um Deus grego que tão lindo, já o tinha visto pelos corredores mas pensei que fosse algum professor de outro curso, pois já devia ter uns 37 anos. Pra minha surpresa, ele era amigo em comum de uma amiga que estava ali conosco. A Bia, nossa amiga em comum nos apresentou, o dele era Mateo. A Começou a conversar de forma bem simpática. Disse que estava terminando o período e precisada de alguém para posar pra ele, mas não estava encontrando ninguém que topasse porque precisava ficar minha tempo na mesmo posição. Eu como estava muito interessada nele, pedi pra explicar melhor. Ele foi desenvolvendo o assunto falando de artes e rapidamente os outros amigos foram saindo da mesa para suas aulas, inclusive a Bia.

Eu mal ligava para o que o Mateo estava falando sobre história da arte, só estava pensando como seria beijar aquela boca linda que sempre terminava as frases com aquele sorriso mais lindo. Pensei logo que se eu posasse pre ele, seria apenas um pequeno sacrifico mas conseguiria um momento só com ele, e quem sobe o que poderia acontecer.

- Então, Mateo eu acho que topo posar pra você. Quando seria?

- Você me salvaria porque preciso entregar esse trabalho semana que vem. Se você topasse amanhã eu já compro as ultimas tintas que faltam e podemos fazer lá em casa. Tem uma janela que entra uma luz linda ali pelas 4 horas da tarde. Pode ser?

- Claro. Mas eu preciso levar algum tipo de roupa especifico?

- Então, vou precisar que você use um colar da minha avó. Só o calor da minha avó.

Naquele momento engoli seco, acabara de conhece-lo e já ficaria nua na frente dele! Fiquei bem insegura num primeiro momento. Mas eu não tinha nada a perder. E também fiquei curiosa e excitada com a muitas possibilidades que aquele momento poderia nos proporcionar.

- Bem Mateo, já aviso que nunca fiz isso antes. Não sou tímida mas esse é um pedido bem diferente né...

- Fica tranquila! Você é linda, não tem que ficar tímida. Eu vou fazer você ficar bem a vontade. Pode apostar nisso. - (Ele falou com a mais mais sedutora de um italiano, artista, que sabia exatamente como conquistar uma mulher e conduzi-la a fazer tudo o que ele queria)

Quando ele terminou de falou a minha xotinha já estava piscando de tesão com ele falando a dois palmos do meu rosto. Já logo pensei que tinha que estar perfeita para aquele momento. Me depilei. No outro dia antes de sair tomei um banho longo para relaxar. Passei um creme hidratante no corpo todo pra deixar a pele bem macia e cheirosa.

Chegando lá, ele me recebeu todo simpático, tinha preparado uma mesa de queijos e um garrafa de vinho. Nós conversamos um pouco, ele me fez rir para relaxar enquanto me explicava como seria. Tomei uma taça para ficar mais leve e antes de me despir ele já explicou como seria a posição. Eu ficaria deitada no sofá de perfil, com uma das pernas levemente dobrada sobre a outra. Naquela eu ficaria totalmente exposta mas de uma forma "não vulgar" como nas imagens que ele me mostrou nos papos de história da arte. Mas mesmo assim ficar NUA é com aquele italiano era FODA em todos os sentidos.

Enquanto ele preparava a tela e as tintas eu tirei a roupa e me deitei como ele havia pedido. Nua e com o colar, na posição que ele explicou. Ele agia naturalmente como se já tivesse feito aquilo mil vezes, e ele já excitada de não saber se conseguiria segurar aquele tesão. Logo ele me viu ali, e foi me ajeitar. Pediu para que eu não me mexesse que ele iria fazer uns ajustes para ficar perfeito. Foi atras do sofá onde pode ver bem a minha bunda, e levemente empurrou o sofá um pouco na diagonal. Com a mão suave ainda por trás, encostou levemente no meu quadril desceu para minha coxa e ajeitou um pouco mais a perna pra cima da outra. Fiquei toda arrepia daquela mão de tocando. Os biquinhos na hora já ficaram duros e eu comecei a ficar com a xotinha toda úmida.

Já terminando de arrumar as tintas, olhei para mim, com um sorriso lindo. Me comeu de cima a baixo ali diante dele.

- Lu, você é muito linda. Que delícia você é. Vamos começar isso logo!

Ele me olhava e pintava. Ficava com os olhos fixos no meu no inicio depois eu notava que já tinha abaixado mais para desenhar os meu seios, e obviamente já notava que eu estava excitava com aquele situação, com os biquinhos duros. Nessa hora, ele estava com uma calça de linho fino e notei já aparecendo um volume maior aparecendo. Naquela hora, de úmida, eu já estava bem olhadinha vendo aquela pica ficando dura. Acabei me mexendo, deixando a perna cair e ele foi me ajeitar. Logo correu para atrás do sofá, e como a minha perna caida naquela posição eu acabei ficando com a bunda bem empinada pra cima. Além de também deixar a mostra minha xotinha que já estava inchada e latejando.

Quando chegou atrás do sofá, viu como eu estava desceu uma das mãos dessa vez começando pela minha bunda até a parte interna da minha coxa, com a outra mão passou o dedo na minha xotinha e sentiu ele molhadinha. Eu dei um gemidinho. Ele logo foi passando a mão da minha coxa para minha virilha, e começou a circular o meu grelinho enquando a outra com o dedo começava a me penetrar. Não aguentei ficar de lado e deitei com a barriga para baixo. Ele continuou com o dedo bem gostoso mais um pouco deixando meu mel escorrer pela perna, depois com a outra mão me segurou firme na cintura e me virou de barriga pra cima, abriu mais a minha perna, pulou pelo encontro do sofá, ficou de joelhos e começo a me chupar. Chupou minha xota toda, sugou o meu gelinho já me deixando completamente louca de tesão até chupar e continuar a metendo os dois dedos mais rápido. Eu contraí as pernas apertando mais o o rosto dele ali puxei a cabeça dele e gritei alto num orgasmo fantástico. Logo ele deitou por cima de mim, começou a beijar na barriga, foi logo chupando o meu peito enquanto apertava o outro, e me beijou a boca com um beijo molhado e longo enquanto eu agarrava forte as costas dele tirando a camisa. Ele ajudou e logo já sentia aquele peitoral colado no meu corpo. Ele ia roçando o pau dele duro igual uma roça por cima da calça o que me deixava mais excitada por ainda não ter visto o que me esperava.

Rapidamente ele já foi se livrando da calça mas não parava de me beijar. Em segundos eu não tinha visto mas já sentia aquele pau pulsando entre as minha pernas. Ele segurou as minhas duas mãos por cima da cabeça e ajeitou o pau dele na minha entradinha. Quando foi encaixando o cabecinha logo senti que era um cogumelo ali. Eu já estava super lubrificada, então a cabecinha entrou apertada. Ele deixou ali um pouquinho sem enfiar tirou, passava pela minha xota toda, no meu grelo, e começava a entrar de novo. Quando encaixou de novo na minha entradinha eu não aguenta mais, me contrai toda e levantei um pouco o bumbum do sofá e ele entrou tudo de uma vez.

Eu gritei alto!! Era muito grosso! Grande. Devia estar com uns 20 cm dentro de mim. Ele foi socando devagar, depois ficando mais rápido e mais curto. Sentia as bolas dele batendo na minha bunda. Que delicia que aquele pau, nunca tinha sentido um tão grosso. Ele me fez ficar de joelhos no sofá e me inclinar segurando o encosto, pra ele poder ficar de pé e me ver de quatro. Ficou de pé, abriu bem as minha pernas e dessa vez ele enterrou até o talo rápido e socava forte. Eu me segurava e ele não parava socar. Eu pedi pra ele não gozar dentro. Já estava ficando com as pernas moles quase gozando também, quando ele só mais umas socadas fundas, tirou e jogou aquele leitinho todo na minha bunda.

Ele deitou no sofá. Eu deitei por cima dele e continuamos a nos beijar.

- Lu, preciso te dizer que você precisar de você outra vez pra terminar a pintura.

- Aé? Eu volto, claro. Mas será que você vai conseguir terminar?? Eu acho que te deixou um pouco desconcentrado sabe?

Ele foi pegar mais uma taça de vinho para nós. Quando ele parou para me entregar de pé na minha frente, ainda sentada no sofá. Peguei e deixei a taça no chão. Foi o momento de apreciar a visão daquele Deus diante de mim. O pau dele ainda estava meia bomba mas logo eu comecei a lamber ele todinho, fui lambendo e circulando a cabecinha que logo voltou a ser aquele cogumelo duro. Comecei a chupar a cabeça e com as mãos fui passando pelo tronquinho, que as veias começavam a aparecer. Ele segurou minha cabeça e quando engoli, ele foi indo pra frente e pra trás. Eu deixando ele todo babado. Eu chupava forte e depois voltava pra cabecinha, lambia de novo um pouco as bolas e engolia de novo. Ele começou a gemer. E aí eu chupava mais forte e com a mão circulando. Até ele gritar que ia gozar. Antes de eu tirar a boca ele gozou muito e escorreu pelos meus peitos ate pingar no chão.

- Lu eu acho que não vou fazer só uma pintura sua. Vou precisar de várias!!! Quero comer muitas vezes essa bochetinha!

https://www.casadoscontos.com.br/texto/201709692