Real, prazeiroso e perigoso

Categoria: 

Oi galera, sou o Doca, tenho 37 anos, moreno, casado e gosto muito de esportes (pedalar é preciso).

Entao, comigo aconteceu um fato, no minimo, curioso. Era uma tarde chuvosa de sabado e eu havia chegado do trabalho, tomado banho e me preparava pra pegar o carro e ir a casa de um amigo quando ouvi a buzina de um carro e em seguida meu nome sendo chamado insistentemente. Morava em um sobradinho confortavel e muito bonito e corri para a sacada pra ver quem era, pois minha esposa estava para a casa dos pais em outro estado. Era M..... N..., uma garota que frequentava o mesmo curso que eu. Fiquei surpreso, confesso, pois o pouco contato que tinhamos era sempre no curso e sempre sobre as aulas. Bom, desci as escadas e fui ate a entrada e vi que era um taxi que ela ja havia pago e dispensado e ela estava começando a se molhar, foi logo dizendo: - Preciso conversar muito com vc! Nao vai abrir o portao? Fiquei parado alguns segundos e reagi: - Estou so em casa e... Abre, por favor! Ela me interrompe suavemente. Destranquei o portao e subimos. Peguei uma toalha limpa e enquanto MN se enxugava comecei a lhe explicar que a minha esposa estava viajando (fora ver os pais)...Ela disse: - Tudo bem, eu sei. Vim pra conversar pois estou passando por um momento muito triste. Uma amiga me contou que o meu namorado estava me traindo e confirmou me levando ate o local onde os dois se derramavam nos braços um do outro, caricias e beijos ardentes e eu feito uma louca fui pra cima dos dois e os xinguei e fui embora. Enquanto ela relatava tudo isso, os olhos dela se encharcavam de lagrimas. Fiquei sem chao no momento. Pedi que ela sentasse e fui buscar um cafe pra aquecer e sentei. Ela continuou: - Estou decepcionada, arrasada e nao sei o que fazer... - Olha, MN, a interrompi. O que vc esta passando deve ser algo que machuca muito, mas vc precisa superar esse momento fazendo o que tem que ser feito. Chama o teu namorado e diz a real se vc quer ou nao continuar. Sei que nao é facil, pois vc gosta dele, mas tem coisas que precisam de uma decisão logo. Galera, confesso, nao sei se é a melhor coisa a ser feita mas foi o que me veio na mente naquele momento que aquela colega de aula me perguntou o que fazer.

Continuando ela apertou suas maos por cima das minhas, naturalmente e disse: -Jamais esperei isso dele. É um cara legal, romantico, sempre muito atencioso comigo e me sinto apunhalada...(lagrimas)...Entao, eu que tinha um compromisso ja estava atrasado meia hora resolvi desistir do compromisso e a convidei para irmos a cozinha e sentarmos em volta de uma mesa oval e continuamos o papo. Ela me contou momentos felizes deles, da familia que queriam ter, das coisas em comum que compartilhavam e quando percebemos precisei acender as luzes pois ja havia anoitecido. Por volta das 19:00h ela me perguntou: - Posso ficar aqui, hoje? Confesso que minhas pernas bambearam e aquele frio a mais percorreu minhas costas, engoli em seco e gaguejei: - Eeeu estou só em ccasa! O fato é que depois que casei nunca trai, nunca fui assediado sexualmente e agora essa situaçao inusitada. Ela foi incisiva: - Preciso desabafar e ainda tenho muito que conversar! Eu apenas me reservei ao direito de dizer-lhe: - É que vai ser dificil eu explicar pra alguem que vc dormiu aqui, eu só em casa, vc em um quarto e eu em outro e que apenas conversamos sobre o momento que vc atravessa. Ela me olhou e me abraçou e chorou copiosamente que me senti incapaz de dizer mais alguma coisa que nao fosse: - Ok, mas cedinho vc precisa ir pq meus vizinhos não vao passar despercebidos. Peguei roupas de cama limpa e roupa de dormir (um conjuntinho de algodao bem macio e confortavel). Ela pegou a toalha foi tomar uma ducha e eu meio tonto sem saber como agradar uma mulher que nao era a minha. Fui pra sala e fiquei pensando: - Logo amanhece e tudo vai ter passado e eu vou seguir minha vida. Medo, preocupaçao e sei lá mais o que tudo junto percorriam meu corpo numa velocidade indescritivel e foi entao que me lembrei de oferecer um lanche antes de dormir e ela ja havia tomado banho, vestiu a roupa de dormir e enrolou a toalha por cima. Eu a convidei para tomar um chocolate quente com biscoitos e assim senti que ela ja estava mais calma. Ela me agradeceu e sentamos na mesinha oval da cozinha comemos em silencio cada um perdido nos seus dilemas. Qdo senti levemente o seu pé roçar omeu por baixo da mesa mas foi tao suave que eu nao ousei repetir a caricia imaginando que, talvez, eu estivesse enganado. Bom, voltamos a quebrar o silencio e falamos sobre aquela chuva torrencial e coisas triviais do tipo. Foi nesse momento que fixei meu olhar no dela e começamos a sorrir. Entao, ela me disse: - Olha ja te amolei muito com meus problemas e preciso dormir. Fui ate o armario peguei uma escova de dentes na embalagem e entreguei a ela. Ela sorriu e falou: -Nossa eu devo estar com um bafo terrivel! Eu sorri tbm pois sabia q era brincadeira. Tinha os dentes alinhados e brancos e um halito cheiroso. Escovamos os dentes e ela voltou do banheiro sem a toalha, apenas com o conjuntinho de dormir. Estava diante de uma baixinha de pernas torneadas e bem a vontade na minha casa. Ela pegou na minha mão e eu, entao, entrei no jogo. Nos abraçamos e beijamos sem pressa e fomos caminhando pra sala ate chegarmos ao sofá. Nesse momento meu pau estava duro a ponto de trvessar meu short e nos entregamos as caricias calientes das preliminares: aquele calçaozinho de algodao era a unica peça que cobria aquele corpo ardente e sentia aqueles seios medios pulsando em minhas maos, cujos mamilos enrijecidos pela proximidade dos nossos corpos. Senti a mao dela se fechando em torno da minha pica q latejava. Nos lambemos os pescoços. Maos que bagunçavam os cabelos, roupas pelo chao, comecei passar a lingua, suavemente, nos seios e mamando aqueles mamilos como um brzerro faminto. Fui lambendo a barriga, uma enterrada no umbigo e pude sentir o cheiro da xoxota que invadia minhas narinas. Nao resisti e comecei a brincar com o clitoris ja encharcado de tesao. Ela gemia. Me ajoelhei no carpete felpuldo e ela escancarou as pernas para receber uma gostosa chupada. Eu.brincava com os labios e o clitoris e ela gemendo me disse: - Ahhh! Quero dedinho! Empurrei com carinho o dedo anelar e depois o medio junto e comecei a siriricar e brincar com o clitoris com a ponta da lingua, depois fiquei metendo a a lingua na xoxota e recebi um empurrao na cabeça pra que intensificasse e foi qdo ela começou a tremer e gemer...ahhhhhh!...havia chegado o gozo na minha boca...ela se contorcia num extase sem igual e eu levantei e deitei com ela no carpete e mais uma vez nos entregamos as delicias do sexo e do proibido. Fui lentamente fazendo um movimento horario e ela veio por cima abocanhando, mordiscando ou apenas passando a lingua nas bolas. Senti suas unhas arranhando com delicadeza o meu pau e depois sugado por aquela boca quente e ficamos em um delicioso 69 ate chegar no meu pau a sensaçao inconfundivel de que iria gozar....aoenas a avisei, pois ela poderia nao gostar...e realmente gozei comela punhetando meu pau e depois passando o dedo na glande o que quase me faz gozar novamente...nos abraçamos e ficamos largados no carpete da sala ate recuperarmos o folego, fazer uma rapida limpeza e um lanchinho (Nossa, que fome!). Fomos pro quarto de visitas e aquela cama arrumadinha, com toda certeza, não ficaria assim. Apos algumas palavras, como: - Caramba! O que é isso!

As maos se perderam por baixo dos lençois e o meu pau recebia uma massagem tao gostosa que endureceu e pulsava. Ela ficou de 4 e ronronava como uma gata no cio. Fui lambendo aqiele cuzinho bem depilado e cheguei ate a xoxota suculenta e rocei a mão, acariciando aqueles pelinhos que formavam um bigodinho de Chaplin acima da xoxota. Ela rebolava e eu peguei uma camisinha, vesti o pau e comecei a encostar na boquinha quente e umida da xoxota. Meti a cabeça...ahhhh! Que delicia! Comecei um vai e vem lento e depois fui ritimando e sentia a delicia daquela bunda macia e lisinha. Fui ritimando e ela gemia...uhhhhh...ahhhhhh...me foooode! Vou goooooozarrrr! E pude sentir aquele corpo estremecer e se entregar a um turbilhao de prazer...ahhhhhhhhh....em seguida, nao pude mais resistir e dei a ultima enterrada na xoxota e desfaleci com o meu pau pulsando e o corpo arrepiando, estava gozando pra valer, fudendo aquela xoxota gostosa. Deitamos de conchinha e nos cobrimos com o lençol (ou a coberta, nao sei) e adormeçemos vencidos pelo prazer...

Domingo, 10:13 da manha.

Acordamos meio atordoados pela noite e madrugada calorosas e trocamos algumas caricias e recomeçamos a pegaçao. Eu chupava aquela buceta por baixo dos lençois e fui em busca de outro preservativo e ficamos nos beijando e fui penetrando aquela femea e gozamos quase jumtos. Tomamos banho juntos, trocamos de roupa, ela fez um delicioso desjejum, comemos sem pressa...ela foi por baixo da mesa e abriu o ziper da minha calça e afastou a cueca box e mamava deliciosamente. Desabotoei a calça e desci ate os joelhos...ela so me pediu que qdo eu fosse gozar avisasse...aquela boca macia foi me entorpecendo e gemi...vooou gooozaaarrr!...espalhei porra pelo chao. Me refiz, limpei e ela falou no meu ouvido: - Estou vingada! Rimos juntos, nos beijamos e ela me disse: - Preciso ir! Saimos depois de muitas tentativas (se alguem viu é meu amigo pq ate hj nunca ninguem soube). Paramos em uma praça e dentro do carro combinamos q seria nosso segredo e que foi uma aventura e nao precisariamos cobrar nada um do outro. Depois disto, continuamos frequentando o curso, concluimos e não transamos mais. Ela arranjou outro cara, meio conhecido meu, casaram e fizemos amizade. Engraçado é que minha esposa um desses comentava como esse casal tinha ficado amigo da gente assim, de repente. Eu sempre desconverso e digo que na vida as pessoas surgem e nós as selecionamos. Pra ser sincero? Tenho um pé atras com essa amizade. Nao sei se MN esta jogando, se esta sendo sincera. Eu estou sendo transferido para uma cidade vizinha (22km), estou financiando um imovel e estou querendo ir o mais breve possivel. Me sair desse lance obscuro. Galera, obgdo por me deixarem desabafar. Eu precisava, pois nao tenho a quem contar isso pessoalmente. Nao sou mais um atras de likes e comentarios é que aconteceu e ate hoje eu me pergunto: Por que comigo? Ela sabia que eu estava só? Ela brigou, mesmo, com o namorado?

Estou saindo à francesa!

https://www.casadoscontos.com.br/texto/201710791