Transei com meu aluno Rebelde e virei sua amante

Categoria: 

Oi pessoal, desculpa a demora de alguns meses para continuar minha saga.

Depois daquela noite eu e o Celso nos encontrávamos quase todos os dias, ele me levava à loucura, me comia de todas as maneiras, estava ficando viciada nele e aos poucos senti que estava perdidamente e loucamente apaixonada pelo garoto.

Já não sentia vontade de transar com meu marido e vivia procurando desculpas para fugir de fazer sexo com ele, isso mesmo, pois sexo era só o que eu fazia com meu marido. O coitado do marido procurava de todas as maneiras me satisfazer, mas eu fingia orgasmos sempre pensando no Celso.

Um dia eu estava na sala dos professores preparando umas aulas, já passava no horário e todos já tinham ido embora, foi quando a porta se abriu e o Celso entrou com aquele jeitão despachado, logo foi me abraçando e enfiando a mão na minha bucetinha e beijando meus lábios com paixão. Soltei um gemido alto e me atraquei com ele me entregando toda

Ele tirou minha blusa expondo meus seios entumecidos de prazer e sugando com os lábios ávidos os bicos rosados. O tesão era tanto que não pensei em mais nada e me entreguei totalmente ao prazer que ele me dava; com ousadia ele me deitou sobre a mesa levantando minha saia e tirando a calcinha, que já estava toda molhada com meu fluido, e começou a me chupar com sofreguidão, não resisti e gozei na sua língua que me penetrava.

Louca de prazer tirei sua bermuda e caí de boca em sua pica grossa e comprida, engolindo ela toda até me engasgar, o prazer foi tanto que ele gozou tanto que não consegui engolir tudo, deixando que escorresse melo meu rosto.

Não satisfeita ainda ele veio por cima de mim e me penetrou forte até eu gozar aos gritos. Quando pensei que ele estava satisfeito o danado me virou de bruços e enterrou de uma vez aquela tora gigante no meu cuzinho me fazendo gritar tanto que achei que o vigia poderia ouvir. O celso foi socando cada vez mais forte e rápido que a dor logo passou e comecei a sentir um prazer tão grande que não sei descrever.

Eu comecei a me desesperar, pois amava loucamente meu aluno e tinha que disfarçar, pois tinha medo de perder o emprego e o marido, os quais me davam uma confortável situação financeira.

Continua...

https://www.casadoscontos.com.br/texto/2017111047