Zelão na punheta

Categoria: 

Como prometido, estou de novo para contar a história do Zelão na punheta, enquanto me via dando para o cachorro Mirão, isso era uma tara que o zelão tinha e vivia me pedindo pra fazer, já que eu sempre estava de caso com o miro, o pastor alemão grande e peludo, que eu adorava, ensinei ele desde pequeno a me foder, fui aprendendo várias técnicas para isso, como por exemplo: eu passava bife de boi bem sangrando no cú, assim ele vinha me cheirar e pensava que eu era cadela no cio, e assim ele fica lambendo meu cú com sua língua áspera e melada, eu ficava de quatro socando punheta e ele subia na minha costas, e pelejava pra encontrar o furinho saboroso que piscava como ninguém.

Durante o fim de semana eu era macho, cara sério, homem de verdade, eu mantinha tudo em perfeita harmonia pra que ninguém desconfiasse que eu era gay, embora eu gosto de ser chamado de viado, viadinho, puto, enfim é assim que eu me rendo, faço tudo o que eles me pedem, no final de semana não tenho tempo pra nada, só fico servindo os patrões em tudo, faço manutenção na chácara toda, ainda bem que eles são gente boa, não aproveita tanto de mim, faço tudo na boa. Eu fico ansioso esperando chegar o domingo à tarde para me sentir livre e desfilar de calcinha e sutiã rebolar minha bunda e esfregar no focinho do mirão, brincar com o pau dele e meter a língua nas bolas e escorregar até o cacete vermelho e quente.

Já passava das nove da noite quando eles foram embora, despediram, passaram as ordens, deram boa semana e foram, mais uma semana fazendo o que mais gosto, ou seja, trabalhar à vontade e com tranquilidade, e ainda ter tempo de ver filmes porno, falar com machos no pc, trocar fotos nuas, se vestir de mulher, bater punheta com consolo no cú, chego a bater 3 por dia, enfim não consigo ver um emprego melhor.

Nesta noite falei com o zelão, estava bem perto dali, deveria chegar por volta das 4 da manhã de segunda, eu fiquei toda sapeca e com muito tesão de poder pular no cacete do zelão, ele estava vindo para ver eu meter com cachorro e bater punheta, ele queria filmar para guardar no celular e bater punheta na estrada quando parasse à noite pra descansar, mas eu sabia que ele iria mostrar pra todo mundo o vídeo, embora ele havia me prometido não mostrar a ninguém, mas eu sabia que ele iria mostrar aos amigos de estrada, e que na verdade eu estava torcendo pra ele mostrar e assim me verem metendo gostoso, adoro me exibir, ui que tesão.

Tomei banho e me deitei, peladinho, como sempre, e o mirão veio deitar comigo, ele volta e meio deitava comigo, como ele era bem cheiroso, já que tomava banho quase todo dia, eu gostava porque ele era quentinho e de vez em quando eu brincava com o pau dele. Já passava das 5 hs. quando o mirão, num salto, correu para a porta e começou a latir, era o zelão encostando o caminhão na rua, ele sabia quando o zelão chegava, fui até o portão completamente pelado e o mirão já estava esperando, acionei o controle e abriu, vinha o zelão, sem camisa, chinelo, bermuda e uma pequena bolsa com roupas, veio todo sorridente, me deu um beijo, pegou no meu pau, passou a mão na minha bunda e fomos descendo até a edícula para que ele pudesse tomar banho e comer, logo após iria dormir um pouco, já que estrada havia sido longa.

Ele deitou e logo em seguida dormiu, estava nú e com o cacete largado e as bolas separadas, imagem linda, saí e fui fazer a manutenção da chácara, piscina, jardim,abrir a casa, enfim, limpar a sujeira do fim de semana e mais tarde dar banho no mirão, ele adorava tomar banho, e hoje ele tinha uma missão especial. O zelão acordou por volta de meio dia e veio ao meu encontro, estava dando banho no miro, e foi perguntando que horas seria o evento, já estava de pau duro, safadinho, eu respondi que seria logo, bastava almoçar, descansar um pouco e no principio da noite iriamos fazer a sacanagem tão esperada, comemos, dormimos, e acordei com o mirão me lambendo, parecia que ele já estava preparado para me foder, eu fiquei me esfregando nele e o calor foi subindo, subindo, fui ficando de pau duro e fui escorregando a mão em direção ao pau dele que já estava endurecendo e ele balançava o rabo freneticamente querendo me enrabar ficamos nos pegando por um tempo, neste momento o zelão já estava com o celular na mão e de pau duro, comecei a chupar o cacete dele com força e mordiscava aquela glande enorme e quente, era linda a cabeça do pau dele, deixei bem molhado e escorria a baba pelo saco peludo dele, eu estava de 4 e miro fungava e com respiração ofegante lutava para encaixar o pau no meu cú, até que conseguiu e foi estocando forte e rápido, e respirava cada vez mais forte, o cacete dele foi inchando e comecei a sentir meu cú dilatando e aumentando o tesão, neste ínterim o zelão não sabia se filmava ou batia punheta, e ele estava alucinado vendo aquela foda, acho que ele não sabia que era tão gostoso e sublime ver aquela trepada, meu cú estava cheio com o pau inchado do mirão, eu gemia como puta arregaçada e com o pau duro ele pulsava e querendo gozar sem eu por a mão, o mirão se virou e ficou bunda com bunda e aí já estava grudado no nó do cacetão, o zelão batia freniticamente sua punheta e ao mesmo tempo filmava tudo de pertinho, ficava meio tremido mas seguia em frente.

Depois de alguns minutos o mirão começou a puxar para sair do meu cú, e gozando aos poucos o pacote fui murchando e diminuindo de tamanho, nisso eu tocava punheta rápida e gemia alto, gozei muito, meu coração parecia sair pela boca, e vendo o zelão vi ele bem vermelho e gritando que ia gozar, arrastei-me até ele e fiquei com a boca aberta esperando o gozo dele, o leite quente esguichou pela minha boca e minha cara, me lambuzando todinho e bem quente, queimava gostoso toda minha face e ele gritava e gemia, ao mesmo tempo o mirão desengatava do meu cú, que a esta altura tinha virado um cuzão, ele começou a lamber seu cacete, ainda duro, e eu aproveitei para lamber também e limpar todinho, devagar ele foi guardando e saiu do quarto, e zelão estava jogado na cama acabadinho e respirando forte, e eu da mesma forma, comecei a voltar ao normal. Levantei e fui ao banho, saí, comecei o jantar, e assim se foi a noite e delírio da metida. Beijo e até.

Depois eu conto como o meu amigo zinhão me ensinou a bater punheta.

email: armandobrazsouza@outlook.com ou face com mesmo nome.

https://www.casadoscontos.com.br/texto/201806459

Comentar